Shoresh Shafei é Cientista de Dados do Google. Mas antes de chegar lá ele participou de muitos processos de seleção para posição de Cientista de Dados em diversas empresas e resumiu suas experiências em um post de lições aprendidas com dicas valiosas, tão valiosas que traduzimos na íntegra para você. O link para o artigo original em inglês está ao final do post. Aproveite a leitura. 

De nada!


Há um momento em que você deve mudar de emprego, por mais incrível que seja a cultura e a empresa na qual você trabalha; o momento da mudança é quando você para de crescer.

Quando chegou a minha hora, participei de diversas entrevistas em muitas organizações na costa leste e oeste. De organizações financeiras a gigantes da tecnologia e de Nova York e Washington DC a Seattle e São Francisco, eu estava aberto a novas aventuras. Enquanto isso, no final de cada etapa e de cada entrevista, eu pensava sobre o que eu, como candidato, e a equipe de recrutadores, poderia ter feito melhor.

O que você está prestes a ler não é exatamente um roteiro de como conseguir sua próxima vaga, mas sim uma lembrança dos meus pensamentos sobre todo o processo.

A maior parte do que estou prestes a contar já foi publicada como postagem no LinkedIn. Sei que muitas pessoas já estão iniciando o caminho que terminei há alguns meses e minha esperança é que minhas anotações sobre como encontrar a empresa certa, lidar com a rejeição, se preparar para a entrevista, etc. façam sua jornada mais emocionante que a minha.

Aqui está uma lista dos tópicos que discuto neste artigo:

  1. Não é fácil, mas vale a pena.
  2. Procura de emprego x namoro online.
  3. Meus critérios para avaliar uma posição!
  4. Como você pode ajudar as empresas a encontrar você?
  5. A dica final da entrevista: esqueça soluções, construa sistemas!
  6. Habilidades técnicas para se tornar um Cientista de Dados: minha opinião.
  7. Meu sistema de preparação para entrevistas técnicas.
  8. Dicas para entrevistas não técnicas.
  9. Para todos os meus amigos experimentando rejeição!
  10. Prescrição pós-rejeição.
  11. Quer ser contratado? Trabalhe em suas habilidades técnicas! Quer uma promoção? Desenvolva conhecimento institucional!
  12. Para os entrevistadores: encontre os candidatos em sua zona de conforto!

 

1. Não é fácil, mas vale a pena!

E-mails para recrutadores, entrevistas pelo telefone, perguntas técnicas, projetos de fim de semana, visitas à sede da empresa, cartas de rejeição, negociações etc. pareciam um processo sem fim; um loop que eu repetia várias vezes.

O processo é exaustivo, mas no final, pelo menos para o meu caso, foi gratificante e valeu a pena os esforços. Aprendi muito e, francamente, me tornei um Cientista de Dados melhor ao longo do caminho. Participar de entrevistas em empresas de diferentes segmentos do mercado, diferentes em tamanho, receita e localização, e discutir uma variedade de problemas emocionantes para os quais eles querem contratar você, foi algo que abriu os olhos. Toda entrevista me ajuda a me preparar para a próxima, oferecendo melhores perspectivas sobre as necessidades, os desafios e as expectativas.

2. Procura de emprego vs. namoro online!

A procura de emprego é muito parecida com namoro online; existem muitos solteiros por aí, mas poucas “almas gêmeas”. Seu trabalho não é casar com o primeiro que sai com você, mas encontrar aquele com interesses mútuos e perspectivas de longo prazo.

3. Meus critérios para avaliar uma posição!

Quais são os seus critérios para escolher a futura empresa? A marca, o local, o pacote de remuneração, a descrição do trabalho, os projetos nos quais você estará trabalhando ou até as vantagens e benefícios e horários flexíveis de trabalho; qual deles tem o fator mais importante? Se você tivesse várias opções em várias empresas, o que escolheria e por quê? Aqui está a minha opinião:

Pessoas

Poucas pessoas podem ter um impacto a longo prazo na qualidade da sua vida: seu parceiro de vida, seu conselheiro / chefe e as pessoas com quem trabalha. Certifique-se de escolhê-los com sabedoria e que isso possa tornar a vida muito mais divertida e gratificante!

Quando se trata de carreira, nunca me arrependi de priorizar as pessoas em detrimento de projetos / empresas / universidades. Eles podem fazer ou quebrar você e seu futuro; eles podem encorajá-lo / desencorajá-lo em cada passo do caminho; eles podem se tornar uma força importante no seu crescimento pessoal ou profissional ou o principal obstáculo para alcançar seus objetivos.

E meu próximo passo na carreira não foi exceção. Tentar encontrar a equipe certa para participar foi a principal prioridade.

Responsabilidades

Por meio de conversas com a equipe de contratação, eu queria descobrir se estava empolgado com a função e as responsabilidades. Uma vez participei de uma entrevista em uma empresa no mercado de venda de ingressos, onde toda a equipe era apaixonada por eventos esportivos. Para mim, que não pratica esportes, obviamente não era a escolha certa.

Não confie apenas na descrição do cargo, pois isso lhe dará apenas uma ideia sobre o cargo. Esse é o caso especialmente de empresas com menos experiência na contratação de Cientistas de Dados.

Oportunidades de crescimento

A futura empresa incentiva o aprendizado / aprimora habilidades e fornece ferramentas para isso? Posso encontrar novas oportunidades de carreira na mesma organização se eu quiser fazer uma mudança? Serei capaz de encontrar e conectar-me facilmente aos mentores?

Plano de carreira

Quanto a posição que estou considerando se alinha com minhas próximas metas de 3 a 5 anos. Usei esse princípio para recusar algumas ofertas que faziam sentido financeiramente, mas não estavam alinhadas com minhas metas de longo prazo.

Pacote de compensação

Importa agora e sempre importará. Mas não é o fator mais importante. Dinheiro e bem-estar financeiro são uma consequência de muito trabalho e impacto e, se você encontrar uma organização que incentive o aprendizado e apóie o crescimento e recompense o trabalho duro, não se preocupe com o resto!

4. Como você pode ajudar as empresas a encontrar você?

Considere os seguintes fatos:

7,3 milhões de vagas abertas em maio de 2019 e graças à tecnologia, qualquer pessoa pode se candidatar a qualquer cargo com um clique. No entanto, 63% dos recrutadores acreditam que a falta de talentos é seu maior problema.

É por isso que você precisa se tornar seu próprio advogado e ajudar as empresas a separar o sinal do ruído. A verdade é que ninguém conhece seus objetivos e ambições melhor que você. Uma lista de habilidades e projetos em seu currículo simplesmente não fará justiça.

Se você deseja aumentar suas chances de ser contratado no cargo certo e na empresa certa, aqui estão algumas coisas que você deve tentar:

O seu perfil no LinkedIn

É como sua conta poupança. Funciona para você mesmo quando está dormindo. Mantenha-o atualizado, use as palavras-chave corretas e facilite a localização de informações relevantes para os visitantes. Lembre-se de que 87% dos recrutadores usam o LinkedIn para verificar os candidatos.

Sua rede

Eles são sua conexão por um motivo. Uma indicação pode aumentar suas chances em 5 vezes, então envie uma mensagem e respeite as solicitações, orientações, conselhos etc. Pare após duas tentativas por conexão. Você tem coisas mais importantes para fazer.

Email direto

Aqui está o que eu fiz: Encontrei a vaga ideal aberta no LinkedIn. Se o recrutador estava listado na página de divulgação da vaga, enviei uma mensagem (uma amostra de exemplo abaixo).

Uma carta de amostra que usei para envio por e-mail direto:

Oi […],
Lendo a descrição da vaga […] em […], encontrei uma grande sobreposição entre minhas responsabilidades atuais e a descrição do trabalho. Permita-me elaborar:

Nos últimos dois anos, eu tenho

– trabalhou em […],
– adquiriu 3 anos de experiência em […],
– métricas de produto definidas e medidas,
– tornar-se experiente com […]
– modelos de aprendizado de máquina treinados,
– análise preparada,
– colaborou extensivamente com equipes de negócios, e
– painéis de análise construídos.

Candidatei-me a esta posição [ID da vaga aqui] e espero que você considere minha inscrição.

Cumprimentos
Seu nome,
Título atual

5. A dica final da entrevista: esqueça soluções, construa sistemas!

A dica é perceber que, na maioria das entrevistas, candidato e entrevistador estão buscando duas coisas diferentes: enquanto o candidato se concentra na solução, o entrevistador está buscando o sistema. O primeiro depende de habilidades técnicas, enquanto o último é sobre o processo que você constrói para demonstrá-las.

O sistema é um processo passo a passo que você usa para ajudar o entrevistador a entender sua abordagem para avaliar e resolver o problema e comunicar seu pensamento e suas ideias. Algo em que ele está muito mais interessado do que a resposta certa! Se a solução é a história, seu sistema é como você conta sua história e é o melhor testemunho de sua profundidade de conhecimento e quão bem você a comunica.

Como exemplo, discuto meu sistema para responder a uma pergunta técnica, como um problema de SQL:

  • – Repita a pergunta e o que você deve entregar ao entrevistador para garantir que ambos estejam na mesma página.
  • – Peça um ou dois minutos e pense na solução. Isso não apenas lhe dá tempo para reunir seus pensamentos, mas deixa uma impressão positiva com o entrevistador: você pensa antes de falar!
  • – Explique sua estratégia e verifique suas suposições com o entrevistador. Como é seguro assumir que há valores ausentes ou duplicados nos dados?
  • – Mantenha o entrevistador envolvido: escreva o código o mais legível possível e, a cada passo, explique o que você está fazendo.
  • – Revise sua solução e também forneça sugestões sobre como torná-la melhor.
  • – Peça feedback! Em várias ocasiões, o feedback me ajudou a melhorar o código. Às vezes, levava a conversas interessantes sobre outras soluções possíveis para o problema.

6. Habilidades técnicas para se tornar um Cientista de Dados: minha opinião!

Eu costumava perguntar que habilidades eu deveria adquirir e quanto eu deveria saber sobre a transição para uma carreira em Ciência de Dados. E na maioria das vezes as respostas não eram boas o suficiente!

Deixando como você deseja aprendê-las, aqui está minha opinião:

SQL

Linguagem SQL envolve manipulação de dados. Ao trabalhar com Ciência de Dados precisamos de linguagem SQL em quase todas as etapas e seu conhecimento é a base para se trabalhar como Cientista de Dados de forma eficiente.

Estatística

Você pode calcular intervalos de confiança, projetar um experimento e explicar valores-p? Você se sente à vontade com a ANOVA e entende as suposições por trás da regressão linear? Estatística é um dos pilares em Ciência de Dados.

Python

Escreva um código simples para lidar com sequências de caracteres, entenda a biblioteca Numpy e torne-se bom o suficiente lidando com grandes conjuntos de dados com o Pandas e visualizando os resultados com o Matplotlib.

Machine Learning

Entenda bem o básico: a diferença entre algoritmos paramétricos e não paramétricos e modelos de classificação versus modelos de regressão até métodos de sobre e sub-amostragem, etc. Entenda como os algoritmos tradicionais funcionam, principalmente Regressão Linear e SVM. Tenha proficiência em pelo menos dois algoritmos de classificação, como Regressão Logística e Random Forest. Entenda as diferentes métricas para avaliar seu modelo e como escolher a métrica correta para o seu problema.

7. Meu sistema de preparação para entrevistas técnicas.

20 minutos

Li a descrição do trabalho, destaquei os pontos principais e pensei em como minhas experiências se relacionam. Isso pode não parecer técnico, mas essa parte deu um contexto às perguntas técnicas.

30 minutos

Durante a conversa inicial com o recrutador, tentei descobrir que tipo de entrevista técnica eu deveria esperar.

30 minutos

Pesquiso a empresa on-line e, se possível, a divisão para a qual eles estão contratando, e penso sobre os projetos e os problemas que eles estão tentando resolver. Se não estiver familiarizado com o domínio, eu pesquisaria isso também.

10–15 min

Eu verifiquei o entrevistador (se fornecido) no LinkedIn para saber mais sobre sua experiência. É engraçado que, por algum motivo, quanto menos eu fiz isso, ou basicamente quanto menos me importava com quem me entrevistava, melhor eu me saía durante a entrevista.

45-60 min

Verifiquei as perguntas da entrevista da empresa no Glassdoor e em alguns outros sites. Se foi uma entrevista por telefone, revi apenas as perguntas da entrevista por telefone e assim por diante.

60–120 min

Dependendo da entrevista, revisei minhas anotações em SQL / Python / Estatística / Machine Learning (as compartilharei no futuro próximo).

8. Dicas para entrevistas não técnicas.

Aja como um especialista em tópicos, não um candidato a emprego!

Trate a entrevista como uma conversa e o entrevistador como seu colega. Relacione as perguntas às suas experiências anteriores, conte uma história, mantenha a entrevistadora envolvida e faça perguntas como: como você / sua empresa lidaria com essa situação?

Entrevista por telefone no horário de pico

Percebi que as noites após o horário de trabalho funcionavam melhor para mim. Descubra o seu melhor horário.

Há uma boa chance de você ser tão qualificado quanto muitos de seus entrevistadores. Seja humilde, mas confiante.

Entrevistas sobre Ciência de Dados são fáceis se você estiver preparado tecnicamente (supondo que suas habilidades correspondam aos requisitos da vaga)! Quanto mais você pratica, melhor preparado você estará.

Não se preocupe com a rejeição.

Você quase sempre tem uma segunda chance (depois de um tempo) e, enquanto isso, existem muitas outras grandes empresas por aí.

Você foi informado disso um zilhão de vezes, mas, lembre-se, você também deve “entrevistar” os representantes da empresa. Algo que você não pergunta ou não percebe agora pode se tornar um grande problema mais tarde.

Mantenha as entrevistas com as empresas mais importantes para o final, para que você tenha tempo suficiente para aprender e corrigir erros do passado.

9. Para todos os meus amigos experimentando rejeição.

Sinto sua dor e frustração! Passei pelo mesmo processo algumas semanas atrás. E fui rejeitado por muitas empresas. Ao enfrentar a frustração, normalmente nos culpamos por não sermos bons o suficiente. No entanto, pelo menos para a maioria das pessoas que conheço, está longe da verdade. Através de muitas entrevistas, que durante algum tempo pareciam intermináveis, cheguei à conclusão de que a maior parte da minha frustração estava em dois grupos de empresas:

Aquelas (normalmente de pequeno a médio porte) sem experiência anterior na contratação de Cientistas de Dados, onde você pode encontrar as descrições da vaga menos precisas e algumas perguntas irrelevantes.

Aquelas com equipes de Ciência de Dados, mas sem processos bem estruturados em torno da contratação, onde você pode ter que responder a perguntas muito especializadas com base em quem o entrevista e no projeto em que o entrevistador está trabalhando / está interessado.

Não se culpe por algo que você não tem muito controle! Em vez disso, aprenda com todas as entrevistas, siga em frente e prepare-se para a próxima. Existem muitas empresas por aí que precisam do seu talento, paixão e trabalho duro. Quanto mais experiência você ganha, melhor você gerencia todas as circunstâncias.

10. Prescrição pós-rejeição.

Você foi ótimo(a), mas o entrevistador não reconheceu seu talento!
Os problemas eram confusos. Não eram perguntas do tipo entrevista.
Não me foram dadas explicações ou tempo suficientes.
Você não merece rejeição!

E assim por diante!

Você está absolutamente certo em todas as desculpas acima. Mas SOMENTE durante a primeira meia hora após a rejeição! Após os primeiros 30 minutos, e antes de esquecer o conteúdo da entrevista e possíveis falhas em seu desempenho, desde a maneira como você estruturou o problema, sua abordagem para a questão ou por não estar familiarizado com a empresa / produto suficientemente bem, pense cuidadosamente sobre o que deu errado! Escreva e certifique-se de cuidar disso. A verdade é que existem muitas coisas que podem dar errado durante uma entrevista e tudo bem! O que não está bem é cometer o mesmo erro duas vezes! Você simplesmente não tem tempo para isso.

Existem muitas empresas excelentes por aí, então não se preocupe se você estragou uma entrevista!

Nos primeiros dias, algumas entrevistas que eu estraguei com alguns dos gigantes da tecnologia me deixaram em desespero. Eu tinha medo de que, se continuasse assim, ficaria sem grandes opções e talvez precisasse acabar em algum lugar que não foi um passo à frente na minha carreira.

Algumas coisas me ajudaram a superar esse medo. Por exemplo, uma simples pesquisa no LinkedIn pode nos expor a uma infinidade de oportunidades de organizações grandes, mas menos conhecidas, com serviços interessantes e às vezes perturbadores, dos quais muitos de nós nunca ouvimos falar sequer uma vez. A verdade é que o mundo não se limita ao Facebook ou Google. De fato, existem empresas do tipo que você pode imaginar por aí que têm uma cultura saudável e equipes de apoio dispostas a ajudá-lo a crescer e ser o melhor de você.

Baseie suas decisões importantes, incluindo assumir um novo papel, mais nas suas esperanças do que nos seus medos: se você está buscando e ainda não encontrou a organização certa, não desista. Continue buscando!

11. Quer ser contratado? Trabalhe em suas habilidades técnicas! Quer uma promoção? Desenvolva conhecimento institucional!

Conhecimento de domínio e conhecimento institucional: quando o CEO da minha empresa anterior me incentivou a trabalhar nas transações recusadas como meu primeiro projeto depois de ingressar na equipe, fiquei decepcionado! Eu esperava um projeto complexo, como construir o melhor modelo de aprendizado de máquina. Em vez disso, fui designado para calcular a proporção de recusado para todas as transações. O que eu não sabia era que minha tarefa era, não se o mais importante, mas um dos problemas mais importantes no setor de pagamentos.

O que estava faltando não eram habilidades técnicas. Tecnicamente, eu era capaz de fazer qualquer tipo de análise. 14 publicações em 3 diferentes campos da ciência e em uma variedade de tópicos exigentes, de Cosmologia a Óptica Não Linear e Bioquímica.

Ganhando vários prêmios de pesquisa e trabalhando em minhas habilidades em Ciência de Dados por cerca de um ano, eu estava pronto para fazer o que fosse necessário para mostrar minhas habilidades técnicas; brilhar! A peça que faltava não era Matemática ou Estatística. Era o conhecimento do domínio e a perspicácia nos negócios!

Além das capacidades técnicas, os Cientistas de Dados precisam desenvolver outras habilidades que permitam identificar os projetos que impactam os negócios, capacitar as partes interessadas e priorizá-las em relação a qualquer outro tipo de trabalho. Para chegar lá, ou seja, para desenvolver a perspicácia nos negócios, é necessária a coexistência de duas partes; conhecimento de domínio e conhecimento institucional!

O conhecimento do domínio ajuda a entender os principais conceitos do seu setor no mercado. O conhecimento institucional, por outro lado, concentra-se na empresa em que você trabalha: sua visão, sua vantagem competitiva, como opera e gera receita, suas prioridades, a história e os planos futuros e assim por diante.

Um especialista em conhecimento de domínio no setor de pagamentos pode identificar fraudes e transações recusadas como problemas muito importantes. O conhecimento institucional ajuda o especialista a escolher um sobre o outro, com base no que se alinha melhor à visão da empresa.

Conversando com especialistas em seu campo, pessoas em sua empresa, assinando newsletters, lendo os documentos da empresa, tudo e todos podem ajudá-lo a desenvolver seu conhecimento de domínio e conhecimento institucional.

Ouça as conversas com atenção, lembre-se de nomes e domine conceitos importantes mencionados e repetidos várias vezes. E seja paciente!

E aqui estão as boas notícias: cheguei à conclusão de que, enquanto somos contratados por habilidades técnicas, o que nos torna insubstituíveis é o conhecimento institucional e de domínio. Normalmente, não é difícil substituir alguém por alguém com melhores habilidades técnicas, mas seria muito difícil substituir alguém que conhece bem o domínio e a instituição para a qual trabalha muito bem. Portanto, a curto prazo, sua vantagem competitiva são suas habilidades técnicas; a longo prazo, seu conhecimento de domínio e conhecimento institucional se tornam únicos!

12. Conheça os candidatos na sua zona de conforto!

Argumento que, se você quiser ver os candidatos da melhor maneira possível, avalie-os em sua zona de conforto: uma sugestão para os entrevistadores!

Durante o processo de entrevista, por telefone ou presencial, o cérebro dos candidatos processa um zilhão de coisas diferentes ao mesmo tempo. Nessas circunstâncias, se seu julgamento se basear exclusivamente em suas capacidades para entender problemas e desafios relacionados ao novo papel, você não os avaliará da melhor maneira possível.

Em vez disso, sugiro que uma parte da entrevista se concentre em mudar para a zona de conforto dos candidatos e desafiá-los, fazendo perguntas detalhadas sobre seus trabalhos anteriores. Isso de fato deve ir além de uma breve introdução que normalmente ocorre no início das entrevistas.

Isso ajudará a criar uma imagem mais abrangente sobre as habilidades cognitivas e técnicas dos candidatos, seus processos de pensamento e abordagens para o problema, como eles lidam com os desafios e como eles os apresentam a você.

Embora isso exija entrevistadores experientes, torna o processo justo e ajuda as organizações a atrair candidatos que podem acabar sendo mais adequados para a função.

Traduzido do original: Paving the Way to Google! Lessons I Learned From Many Data Science Interviews